segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Semana dos 10 anos do Geopark Araripe

Figura 1: Sede do Geopark Araripe, em Crato - CE. Fotografia: Mariana Albanese (do site: Viaje na Chapada).

Esse é daqueles momentos em que se olha para o passado e vem aquela sensação: "Mas já? Parece que foi ontem...". Um trabalho oficialmente reconhecido em 2006 e que completa 10 anos de atuação no Cariri Cearense. Isso tem sido o Geopark Araripe (Figura 1), que receberá seu segundo selo verde UNESCO, oficialmente, na 7ª Conferência Internacional de Geoparks (acesse a página do evento clicando AQUI) a ser realizada no Reino Unido (em território do Riviera UNESCO Global Geopark).

A Semana Geopark Araripe 10 Anos (Figura 2) será bastante especial. A programação resumida, conforme divulgado em rede social pelo próprio Geopark Araripe, tem atrativos para todas as áreas, com participação de parceiros importantes dos setores público, privado e representantes da sociedade civil organizada. É uma demonstração prática de que o Geopark Araripe é um facilitador/ mediador, pois a semana comemorativa acaba se fazendo na prática uma construção coletiva de vários atores do território. Pode ser conferida clicando no link: Programação Semana 10 anos Geopark Araripe.

Destaca-se a amplitude de possibilidades que o evento oferece aos participantes: 

1- Mesas Redondas, entre os dias 20/09 e 22/09, com temas que variados: Patrimônio Natural, Unidades de Conservação,Geoturismo, Economia Solidária, Cultura e Arte Popular, Questão Hídrica, Novas perspectivas de Geossítios;

2- Ação prática no Geopark na Comunidade: No dia 20/09, no Vale do Amanhecer em Juazeiro do Norte, das 8 às 16 horas;

3- Exposição Fotográfica "Território Geopark";

4- Mini-cursos e oficinas com carga horária de 8 horas, nos dias 20/09 e 21/09 (R$ 10,00 - taxa de inscrição). Acesse a lista dos mini-cursos clicando AQUI;

5- Atrações culturais entre os dias 20/09 e 22/09;

6- Geopark no "mêi" do mundo: Visitas às rotas leste (dia 23/09) e oeste (dia 24/09) do Geopark Araripe, com saída prevista às 8 horas.

Na primeira edição do CETV, pela Verdes Mares Cariri (afiliada da Rede Globo de Televisão), a semana comemorativa e o evento ganharam destaque especial (clique AQUI para ver o vídeo).

Estaremos participando, e de olho no desenrolar da programação para em breve trazer mais geonews!


Figura 2: Logotipo criado em alusão aos 10 anos do Geopark Araripe, através de parceria com o curso de Design de Produto da Universidade Federal do Cariri - UFCA.

sábado, 10 de setembro de 2016

Patrimônio Hidrológico

Olá amigos,

gostaria de compartilhar um artigo que eu, particularmente, estava ansiosa para ler. O artigo trata sobre o patrimônio hidrológico, um tipo de patrimônio que ainda tem poucos trabalhos publicados aqui no Brasil. 

Por Patrimônio Hidrológico entende-se, segundo os autores, em um conjunto de elementos pertencentes aos recursos hídricos, de natureza superficial (exsurgências/ ressurgências, rios, lagos, barragens, mares e oceanos), que possuam um valor científico, pedagógico, econômico, ecológico, de uso e/ ou estético. Este valor é maximizado nos hidrossítios e, portanto, merecem ser preservados.

É de autoria de Luciano Pereira, Lúcio Cunha e Jucicleide Teodoro. 
  
Um Olhar Sobre o Patrimônio Hidrológico do Município de João Pessoa, Paraíba, Nordeste do Brasil .

O patrimônio hidrológico do município de João Pessoa, Paraíba, nordeste do Brasil, se apresenta na forma de fontes de água doce e de planícies fluviais e fluviomarinhas ainda funcionais, possuindo valores científicos, pedagógicos, culturais, estéticos e ecológicos, sendo os hidrossítios os locais de interesse hidrológico onde estes valores se maximizam. O objetivo deste ensaio é apresentar uma discussão teórica acerca do referido patrimônio, assim como sugerir potenciais hidrossítios para serem inseridos em rotas geoturísticas urbanas. A definição de patrimônio hidrológico consiste em um conjunto de elementos pertencentes aos recursos hídricos que possuam um valor de uso, científico, educacional, cultural, entre outros, o que os torna passiveis de proteção. João Pessoa está assentado em uma bacia sedimentar desenvolvida sobre um embasamento cristalino falhado, pelo que o terreno possui grande potencial geoturístico, do ponto de vista de seu patrimônio hidrológico, com fontes históricas, diversas planícies fluviais e a maior planície fluviomarinha do Estado, a do Rio Paraíba, de relevante importância histórica, ecológica e estética. Foram identificados os seguintes locais potenciais de interesse hidrológico: o Estuário do Rio Paraíba e seus manguezais, o Rio Jaguaribe, principal rio urbano e sua antiga foz, bem como a Dolina dos Irerês e três fontes centenárias de água doce, a Fonte dos Milagres, Tambiá e Santo Antônio.

O artigo completo você pode ler no Livro Territórios de Água que pode ser baixado aqui. 

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

I Seminário Potiguar de Geodiversidade


Vem ai o I Seminário Potiguar de Geodiversidade que ocorrerá no dia 28 de setembro de 2016, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, campus de Natal. 


sábado, 20 de agosto de 2016

Aplicativo "Geoparque Seridó"


O aplicativo Geoparque Seridó chega com a finalidade de levar você, de forma virtual, a conhecer o geopatrimônio dos 16 geossítios que fazem parte do projeto de geoparque do Rio Grande do Norte. 


É fruto dos trabalhos da Empresa Júnior de Geologia (Geologus) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.


No aplicativo você tem acesso ao mapa de localização dos geossítios assim como a descrição e fotografias de cada.




Sem dúvidas, uma excelente ferramenta de divulgação e valorização do patrimônio. 
Baixe o aplicativo no Play Store. É grátis. 
Parabéns à turma da UFRN! 

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...