terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Monumento Natural da Pedra do Baú



A Pedra do Baú, que fica em São Bento do Sapucaí, a 164 km de São Paulo, é o mais novo monumento natural do interior do estado. Depois de três anos de processo, o decreto foi assinado nesta segunda-feira (27). Ela é o segundo monumento natural de São Paulo – o primeiro é a reserva da Pedra Grande, em Atibaia.

A pedra pode ser vista de todos os cantos da cidade. Ela era considerada unidade de conservação de uso sustentável – com ocupação e exploração da área permitidas, mas com controle. Agora, como monumento natural, as restrições serão maiores.

Para continuar com o crescimento do turismo, será criado um plano de manejo. “Isso envolve estudos técnicos, e depois reuniões para discussão do zoneamento do monumento, dos programas de uso, do que vai ser mais restritivo, especialmente na visitação pública da pedra”, explicou José Amaral Wagner Neto, diretor da Fundação Florestal.

Atualmente, segundo a prefeitura, cerca de 1,5 mil pessoas visitam a pedra nos fins de semana. A área tem 3.154 hectares. ”Não vai ter ocupação desordenada, não vai se destruir a natureza no entorno,. E não vai destruir esse cenário que é uma das belezas cênicas mais bonitas do estado e do Brasil”, disse o prefeito da cidade, Ildefonso Mendes Neto.

Além de ter um monumento natural, a viagem a São Bento do Sapucaí pode ficar mais fácil – a SP-042, que dá acesso à cidade e ao sul de Minas Gerais, deve ser reconstruída nos próximos meses.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

FAPESP Financia Pesquisas em Patrimônio Natural

A FAPESP e o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (SEC), assinaram na terça-feira (21/12) um convênio para a promoção da pesquisa científica e tecnológica com a finalidade de gerar conhecimento metodológico e subsidiar ações de preservação do patrimônio cultural do Estado.

O acordo foi assinado na sede da SEC, em São Paulo, pelo secretário da Cultura, Andrea Matarazzo, e pelo presidente da FAPESP, Celso Lafer. O convênio prevê o aporte de R$ 3 milhões, compartilhados igualmente entre a FAPESP e o Condephaat. Os valores serão desembolsados em três parcelas anuais de R$ 1 milhão. Cada projeto selecionado em chamadas poderá receber até R$ 300 mil.

A FAPESP ficará encarregada de elaborar as chamadas de propostas de pesquisa que convocarão pesquisadores de instituições de ensino superior e de pesquisa no Estado de São Paulo para a apresentação de projetos nas linhas de pesquisa de interesse da Fundação e do Condephaat.

De acordo com Lafer, o convênio estimulará a realização de estudos que contribuirão para o estabelecimento de políticas públicas de conservação do patrimônio cultural paulista.

“O convênio trará insumos adicionais para o estabelecimento de políticas públicas. Ampliar o conhecimento sobre diversas áreas e fundamentar políticas públicas com esse conhecimento tem sido uma linha de ação prioritária para a FAPESP. A Fundação contribuirá com a aplicação de seus critérios rigorosos na seleção dos projetos de pesquisa, que fornecerão um adicional de legitimidade às decisões do Condephaat”, disse.

Para Matarazzo, o avanço do conhecimento em diversas áreas ligadas à preservação do patrimônio cultural proporcionará ao Condephaat a adoção de critérios e metodologias mais eficazes, agilizando as decisões do órgão.

“Trazer conhecimento para o estabelecimento dos critérios utilizados para identificar o patrimônio a ser preservado é uma maneira de tornar a ação do Condephaat mais profissional. Hoje, por falta desses critérios objetivos, as decisões ainda ficam paradas por longos anos, criando dificuldades para o setor da construção. Incentivar estudos nessa área é uma iniciativa que tornará o Condephaat mais ágil”, afirmou.

A presidente do Condephaat, Rovena Negreiros, explicou que não é possível estabelecer uma verdadeira política pública de preservação do patrimônio cultural sem conhecimento científico e metodológico sistematizado do universo patrimonial.

“Sem critérios e metodologias adequados, não se consegue fazer políticas públicas satisfatórias. As políticas públicas elaboradas sem essa fundamentação se tornam muito frágeis e vulneráveis a todo tipo de interesse. Queremos deixar para trás o viés de casuísmo presente nos processos de tombamento. Por isso, é importante definir critérios objetivos e metodologias científicas para orientar políticas públicas de inventário e preservação do patrimônio”, disse Rovena à Agência FAPESP.

Segundo ela, o convênio responde à necessidades do Condephaat de aprimorar seus critérios de atuação. O órgão procura, desde sua fundação em 1968, estabelecer metodologias para seleção de patrimônios representativos do estado.

“No entanto, essas iniciativas foram atropeladas por uma demanda cada vez maior de atendimento público, com solicitações de todo tipo”, disse Rovena. Essa demanda, apontou, foi atendida com muita qualidade, mas absorveu as ações do Condephaat, impedindo que o órgão atualizasse seus procedimentos.

No decorrer dos anos, segundo ela, o Condephaat produziu muito conhecimento com base em sua experiência, mas pautado pelo imediatismo de estudos pontuais e critérios fluidos e conduzidos por opções técnicas pontuais.

“Essa lacuna foi se ampliando e hoje vemos a necessidade de definir procedimentos científicos e sistematizados para atuação no setor. A importância desse convênio está na perspectiva de termos insumos científicos e tecnológicos que permitam estabelecer uma política de preservação e de inventário do patrimônio histórico e cultural do estado de São Paulo. Trata-se de algo inédito, sem paralelo no Brasil”, destacou.

O convênio estabelece, a princípio, que serão apoiados projetos de pesquisa que envolvam temas como “Patrimônio Rural”, “Patrimônio Industrial”, “Patrimônio de Entretenimento”, “Patrimônio Ferroviário”, “Patrimônio Institucional”, “Patrimônio Educacional”, “Patrimônio de Assistência e Saúde”, “Patrimônio Residencial”, “Patrimônio Natural” e “Patrimônio Imaterial”, entre outros.

Mais informações sobre o convênio: www.fapesp.br/acordos/condephaat

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Boas Festas!!!!

Imagem postada por Paulo Pereira no grupo Geoturismo_brasil

Está chegando ao fim mais este ano de trabalho e de muito avanço para o Trinômio.

Ao longo deste ano recebi e-mails de pessoas interessadas na temática, pedindo informações; encontrei o link do Patrimônio Geológico e Geoconservação em vários blogs e sites de todas as partes do Brasil e até do exterior; passamos de pouco mais de 1.000 acessos para mais de 10.000 acessos; temos leitores em Portugal, Estados Unidos, Austrália, Polônia, Romênia, Itália, Espanha, Canadá, Africa do Sul e em vários outros locais; recebi também ajuda de nossos colegas do grupo Geoturismo_brasil ao longo de todo o ano e eu só tenho que agradecer a todos pelas contribuições!

Fechamos o ano com o seguinte ranking de visualizações de postagens:

1. Potencial Brasileiro para Criação de Geoparques (247 visualizações)
2. Você Conhece o Geoparque Araripe? (186 visualizações)
3. Ciclo de Palestras Destaca Patrimônio Natural de Tibagi (139 visualizações)
4.Museu de Paleontologia do Cariri Será Reaberto (107 visualizações)
5. Mapa de Localização dos Geoparques Europeus (100 visualizações)
6. .Aplicação do Conceito de Geoparques no Brasil e sua Relação com o SNUC (86 visualizações)
7. Proposta de Criação do Geoparque no Seridó - RN (67 visualizações)
8. Geoconservação e Desenvolvimento Sustentável na Chapada Diamantina (55 visualizações)
9. Download: The History of Geoconservation e Geodiversity (49 visualizações)
10. 1° Workshop Latino Americano e Caribenho de Geoparques (47 visualizações)

...e que 2011 tenhamos mais trabalho!

Obrigada a todos pelas contribuições e por acompanharem o blog.

E vamos começar o ano de layout novo! Aprovado?

Feliz Natal e um Excelente Ano à todos! =D

VIVA! rs

I Simpósio de Geoparques e Geoturismo do Chile

O Serviço Nacional de Geologia e Mineração juntamente com a Sociedade Geológica do Chile promoverão entra os dia 13 a 16 de abril de 2011, em Melipeuco, região da Araucanía, o I Smpósio de Geoparques e Geoturismo do Chile.

Haverá exposições orais e em postêrs de trabalhos com as seguintes temáticas:
  • Geoparques e Geoturismo: experiências nacionais e internacionais;
  • Ciência, educação e divulgação do patrimônio geológico e cultural.
Os resumos devem ter no máximo 350 palavras e o resumo expandido no máximo 4 páginas. O prazo para envio dos resumos é até o dia 30 de janeiro de 2011 para o e-mail: geoparque@sernageomin.cl.

o idioma oficial do evento é o espanhol, sendo permitido a apresentação de trabalhos em inglês e português.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Grupos de Pesquisa GGG

Olá meus caros,

estive conversando estes últimos dias com um amigo sobre os Grupos de Pesquisas cadastrados junto ao CNPq e tive uma idéia, nem tanto original, mas bem legal de sugerir aos meus amigos doutores, a criação de um grupo sobre o trinômio e encontrei na internet uma surpresa muito boa.

Eu ainda não tinha conhecimento, mas já temos alguns grupos de pesquisa nas mais diversas instituições brasileiras. Abaixo segue uma pequena lista com o nome do grupo, da instituição, do líder e a área de atuação:

* Geoturismo e Geoparques - UEPG
Jasmine Cardozo Moreira
Turismo

* Rotageo - UEPG
Leonel Brizolla Monastirsky
Geografia

*Estudos Integrados Geoambiental - IFPE (linha: Geoturismo e Planejamento Ambiental Inclusivo)
José Rogério Arruda da Silva
Geociências

*Grupo de Estudos em Geologia Sedimentar - UFRJ (Linha: Geoparques e Geossítios Sedimentares)
Leonardo Fonseca Borghi de Almeida
Geociências

*História Ambiental e Tecnogênese - UEFS (linha: Geoturismo e Geoconservação)
Marjorie Cseko Nolasco
História

*Laboratório de Petrologia Aplicada à Pesquisa Mineral - UFBA (linha: Geoturismo, Patrimônio Geológico e Educação em Geociências)
Débora Correia Rios
Geociências

* Novas Tecnologias de Comunicação e Informação no Mundo Contemporâneo - UNIVERSO (linha: Geoconservação, Geoturismo, Geologia, Educação e Geologia Ambiental)
Michéle Tancman Candido da Silva
Geografia

* Tectônica e Magmatismo na Província Borborema, Nordeste- Brasil - UFPE (linha: Geodiversidade e Geoturismo)
Sérgio Pacheco Neves
Geociências

* Geodiversidade e Dinâmicas Ambientais na Bacia Sedimentar do Araripe - URCA
Alexsandra de Oliveira Magalhães
Geociências

* Geodiversidade e Patrimônio Geológico - USP
Victor Velázquez Fernandez
Geociências

* Geodiversidade, Patrimônio Geológico e Geoconservação - UFOP
Paulo de Tarso Amorim Castro
Geociências

* Gestão do Patrimônio Natural - UEPG
Mário Sérgio de Melo
Geociências

... de fato já temos bastante profissionais trabalhando na área!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Declaração do Araripe

Entre os dias 17 e 19 de Novembro de 2010, ocorreu no Geopark Araripe (Brasil) a 1ª Conferência Latino-Americana e Caribenha de Geoparques (LAC), com o apoio da UNESCO, tendo estado presentes 250 delegados representantes de países de diversos continentes.

Em resultado dos encontros e discussões efetuadas no decurso deste evento, foi adotada pelos participantes a Declaração do Araripe, com o seguinte teor:

1. Os Geoparques desenvolvidos sob os auspícios da UNESCO constituem os novos territórios do século XXI. A filosofia e a visão desses territórios, onde a conservação, valorização e educação tanto sobre o patrimônio Geológico – a memória da Terra –, como sobre o patrimônio natural e o patrimônio cultural tangível e intangível, encontram-se ao serviço de um desenvolvimento sustentável e correspondem a uma necessidade e a uma preocupação dos povos da região continental da América Latina e do Caribe.

2. Estes países devem esforçar-se em prol da criação e do desenvolvimento de Geoparques valorizando a sua realidade, baseada sobre uma das maiores biodiversidades do mundo e uma ampla e diversificada história geológica, que podem ser descobertas através de sítios excepcionais, de uma longa história e da memória humana, conservadas, entre ouros, graças à presença da população indígena, transmitindo desta forma uma visão holística de relação entre a Terra e os seus habitantes, através do resgate da sua identidade.

3. Os projetos de criação de Geoparques apenas poderão ter sentido e êxito com a participação efetiva de todos sem exceção. A definição dos diferentes elementos patrimoniais de um território, dos seus interesses, e das suas necessidades de uso, conservação e valorização, deve resultar do trabalho de equipes científicas multidisciplinares (geólogos, paleontólogos, biólogos, educadores, etnólogos, historiadores, economistas, gestores, etc.). As políticas de desenvolvimento sustentável devem também resultar do trabalho de reflexão de equipes pluridisciplinares nas quais se incluam autoridades a todos os níveis, representantes da população local e representantes da sociedade.

4. Uma das especificidades e riqueza humana da nossa região continental é a presença de populações indígenas. Estas têm consagrado o seu direito à livre determinação. Assumem-se como o espelho do mundo natural em que vivem e possuem conhecimentos tradicionais e direitos de proteção do conhecimento sobre plantas, com destaque para as ervas medicinais, animais, paisagens, rochas e minerais. Esta relação ética, espiritual e sagrada com a natureza deve ser entendida como um valor adicional inestimável para todos os projetos de Geoparques na América Latina e no Caribe.

5. O desenvolvimento sustentável em um Geoparque não significa necessariamente uma aposta turística nem a abertura de territórios naturais sensíveis a um turismo de massas. Representa sim um turismo consciente, responsável e independente. Um Geoparque deve ser um verdadeiro território de idéias e de projetos e a sua estratégia de desenvolvimento sustentável deve ser inovadora, ponderada, integrada, respeitadora das tradições e vontades locais, além de proporcionar igualdade entre a sua população. Além disso, a criação de uma marca para os produtos do território do Geoparque, baseada num conjunto de especificações de qualidade, deverá constituir um elemento importante do seu desenvolvimento econômico.

6. Os Geoparques representam um estandarte de um território de alta qualidade que apenas pode ser obtido com um trabalho em rede no nível local, nacional, regional e mundial. Este permitirá o desenvolvimento de instrumentos de cooperação regional e global, através da partilha de experiências e práticas de gestão entre Geoparques, e a proposta de múltiplas ações de formação tanto dos atores sócio-econômicos do território como dos futuros gestores de novos projetos de Geoparques.

7. O Governo do Estado do Ceará, criador, com a Universidade Regional do Cariri, do primeiro Geoparque da América Latina e Caribe, com o apoio do Governo Federal do Brasil, se compromete nesta declaração a mobilizar os meios humanos, tecnológicos e econômicos para apoiar e facilitar o desenvolvimento de projetos de Geoparques nesta região, antevendo assim a criação de uma futura Rede Latino-Americana e Caribenha de Geoparques.

Lavrada no Geoparque do Araripe (Ceará, Brasil) no dia 19 de Novembro de 2010.

Geopark Araripe Apoia Eventos Desportivos

Foi realizado no sábado, 04/11, na sede do IBAMA Crato, a última etapa do campeonato cearense de maratona-mtb 6 horas. A prova reuniu 120 atletas de mountain bike dos estados de São Paulo, Pernambuco, Paraíba e Ceará que disputaram pontos no ranking do Ceará e o prêmio de R$500,00.

A competição, que está em sua 11ª edição, consiste num percurso de 9km em que os atletas têm que percorrer durante seis horas. O primeiro candidato a realizar o maior número de voltas, é o vencedor.

Para o diretor geral da Ecobikers, associação organizadora do mtb 6 horas, Ernesto Rocha, a importância do apoio do Geopark Araripe se deu no tocante às atividades do grupo, já que a organização trabalha com a conscientização dos atletas para a preservação da natureza. “O nosso objetivo é formar atletas ecologistas”, pontuou.

No blog http://caririmtb.blogspot.com/2010/11/mtb-6-horas-ceara-regulamento.htmlvocê pode acompanhar o resultado da competição.


Aproveito o espaço de divulgação do evento para expor algumas considerações pertinentes de nosso colega de grupo, Múcio Figueiredo, sobre a prática de trilhas em áreas protegidas:


"Pelo que tenho lido sobre impactos ambientais da prática de mountain bike em trilhas, a coisa é séria. Há diversos trabalhos demonstrando os mais diversos impactos. A IMBA (International Mountain Bike Association) tem se esforçado pelo lado da conservação e planejamento de trilhas, mas as pesquisas têm demonstrado que o melhor mesmo seria a prática deste esporte ser realizada em pistas especialmente construídas para esse fim.

Há muitas publicações de pesquisadores australianos e norte-americanos a respeito.

Mountain bike em trilhas comuns gera compactação do solo, com alterações nos índices de umidade, densidade de partículas, perda de matéria orgânica, etc. O conjunto de fatores torna o solo mais propenso à ação da erosão, resultando em rápido aprofundamento do leito da trilha. Isso leva os mountain-bikers a abandonar o leito antigo, criando trilhas paralelas que levarão ao mesmo problema.

Portanto, há de se realizar um minucioso planejamento do traçado ideal de trilhas para a prática de mountain-bike, levando em consideração aspectos como declividade, posição da trilha em relação ao sentido da encosta (ou vertente), classe de solo, características pedológicas físicas e químicas, entre outros aspectos não menos importantes e presentes nos diversos métodos de diagnóstico ambiental de trilhas de ambientes silvestres presentes na literatura técnica internacional."


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Projeto Georoteiros - RS

A proposta do Projeto Georoteiros nasceu de um grupo de alunos do curso de Geologia da UNISINOS (Universidade do Vale do Rio dos Sinos).

O grupo deparou-se com o desafio de criar um website que consiga dialogar com as pessoas, informando e explicando, sem muitos termos técnicos, a evolução geológica do planeta Terra e, por conseguinte, do Estado do RS.


"Pensamos que, quanto mais divulgada for a Geologia, estimulando seu estudo e compreensão, maior serão as chances da população compreender os fenômenos que modificaram o planeta Terra - possibilitando desta forma - intervir positivamente em seu destino, preservando-o." (Felipe Galant)


Conheça o projeto através do site www.georoteiros.com.br

II Congresso Nacional de Educação Ambiental e IV Encontro Nordestino de Biogeografia



Caros amigos,

Os Eventos, conjugados, II Congresso Nacional de Educação Ambiental e IV Encontro Nordestino de Biogeografia que ocorrerá em João Pessoa, no período de 12 a 15 de outubro de 2011, tem como objetivo maior de apontar os Caminhos para a Conservação da Sociobiodiversidade.

Trata-se de um evento de grande porte e que permite uma excelente discussão sobre o Meio Ambiente e sua relação com o Homem.

Este ano o evento traz um ótima novidade - e desde já agradecemos ao Prof. Giovanni Seabra por inserir a temática Geodiversidade e Geoconservação.
Isso mesmo amigos. Temos dentre os vários eixos temáticos (todos de grande importância para a discussão ampla sobre meio ambiente) um intitulado GEODIVERSIDADE E GEOCONSERVAÇÃO. Onde teremos mais um espaço para apresentar e discutir uma temática que cresce muito no Brasil e não mais só com os geólogos, mas também na geografia, biologia, turismo, ecologia, entre outras áreas.

Interessante que teremos a oportunidade de falarmos sobre patrimônio geológico e associá-lo a outros temas do meio ambiente. A presença de inúmeros profissionais de diferentes áreas nestes eventos também possibilitará uma discussão mais ampla permitindo ampliar os conhecimentos e melhor ainda somar o patrimônio geológico ao biológico e efetivamente discutirmos o Patrimônio Natural como um todo.

Vejam que teremos ainda uma Oficina de Ensino onde através de um mini-curso de 8h trataremos do assunto.

Portanto, não percam esta oportunidade e venham juntar-se a todos nós e promover uma ampla discussão a cerca do Patrimônio Natural. Além disso conhecer a belíssima João Pessoa - cidade belíssima com natureza e história, considerada a porta do sol devido estar situada próxima o extremo leste do Brasil e lembrando que durante a ECO-92, na conferência da ONU sobre o meio ambiente, João Pessoa recebeu o título de segunda cidade mais verde do mundo.


Confiram outras novidades do evento em http://www.cnea.com.br/

Aguardamos vários trabalhos e sua prese
nça.

Valeu Marcos!!! =D

terça-feira, 23 de novembro de 2010

10 Anos de SNUC

A UFRRJ, o INCT-PPED e o Ministério do Meio Ambiente estão realizando nos próximos dias 2 e 3 de dezembro o Seminário "10 anos do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza: lições do passado, realizações presentes e perspectivas para o futuro".

O objetivo do Seminário é promover um debate e avaliação conjunta sobre os caminhos, resultados e perspectivas do SNUC no Brasil com os principais atores, especialistas, gestores, usuários e beneficiários do Sistema. Uma oportunidade singular não apenas de revisitar o passado e as conquistas presentes, mas também para olhar o futuro e os desafios a serem enfrentados na próxima década.

As inscrições estão abertas através do site www.snuc10anos.org e são gratuitas. As vagas são limitadas e distribuidas por cotas por entre diferentes categorias.

domingo, 14 de novembro de 2010

Olha o Geoturismo aee

Depois de um bom tempo sem postar, pois o mestrado tem consumido muito meu tempo, tenho que divulgar uma excelente notícia para todos nós que trabalhamos com o trinômio.


O trabalho da Profa. Dra. Jasmine Cardoso, turismóloga, que ganhou recentemente uma Menção Honrosa do Prêmio Capes de Tese 2009, pelo grande sucesso de sua tese de doutorado intitulada "Patrimônio Geológico em Unidades de Conservação: atividades interpretativas, educativas e geoturisticas", defendida em 2008 pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFSC, orientada pelo Prof. Dr. J.J Bigarella.

É um excelente trabalho!!! É a CAPES reconhecendo o Geoturismo e com toda certeza já construimos bases sólidas para esta linha de pesquisa que até pouco tempo diziamos ser "nova" e não chegava a ser tão aceita; tudo que é novo precisa passar por uma aprovação; o resultado é esse: um grande sucesso!!

A tese não está disponível no blog mas pode ser encontrada nos arquivos do grupo Geoturismo_brasil ou no site de Liccardo www.geoturismobrasil.com.

Meus Parabéns à Jasmine!!! =D


sábado, 9 de outubro de 2010

Geoturismo Urbano - Possibilidades de Geoconservação

Olá!!

há algum tempo venho procurando material sobre Geoturismo Urbano para publicar aqui no blog. As variadas possibilidades de se desenvolver o geoturismo ultrapassa a noção de que a beleza geológica só pode ser observada em ambientes naturais.

O resumo abaixo é de autoria dos colegas do grupo de discussão Antônio Liccardo, Gil Piekarz e Virgínio Mantesso-Neto. Boa leitura!!!


Ouro Preto - MG

Dados demográficos recentes do Brasil apontam que o número de habitantes nas cidades superou o de habitantes da zona rural, acompanhando uma tendência mundial. Com as premissas que a maior parte da população se encontra em cidades e que o geoturismo propõe a disponibilização de conhecimento geológico para as pessoas, é lógico supor que ações de divulgação sobre geoturismo e geopreservação sejam implementadas nas cidades.

Pesquisas neste sentido já existem em vários países, onde guias geoturísticos apresentam as características geológicas dos atrativos naturais, da geomorfologia e das rochas usadas na construção de cidades (por exemplo, Pietre e Marmi di Firenze, livro que descreve as rochas usadas nas catedrais e monumentos de Florença e as antigas pedreiras que forneceram o material).

No Brasil as idéias de geoturismo tendem a privilegiar áreas naturais, muito em função da urgência na preservação. Entretanto, mudanças acontecem na esfera cultural e, ampliar o alcance do entendimento da geodiversidade passa necessariamente pela difusão para a comunidade. Exemplos, contudo, já acontecem no Brasil: em Ouro Preto, MG, um projeto para preservação da técnica de cantaria resultou em livro (2006) que é destinado aos turistas, que já visitavam a cidade em função dos aspectos culturais. Hoje está sendo estudado um caminhamento turístico pelo centro histórico para conhecer os tipos de rocha e trabalhos de entalhe realizados.

Há vários casos de geoturismo urbano ligados diretamente à arte da cantaria, como a visitação de igrejas antigas ou arquitetura colonial. Ainda em Ouro Preto, antigas galerias de mineração de ouro do século XVIII passaram recentemente a receber geoturistas. Em 2006, um levantamento de rochas ornamentais em shopping centers de São Paulo propôs o uso desta informação como atrativo cultural adicional a estes estabelecimentos, mas até o momento essas observações continuam restritas ao meio acadêmico. Em Salvador, foram colocados painéis com informação geológica em linguagem acessível, mas foram vandalizados, retirados e não substituídos.

O projeto Geoturismo em Curitiba (Mineropar) foi o primeiro a adotar esta abordagem urbana para desenvolvimento do geoturismo, com atrações muito variadas e resultados expressivos, inclusive para a geoconservação. No Rio de Janeiro, os trabalhos do DRM também apresentaram abordagens ligadas ao contexto urbano da geologia. A visitação turística a cemitérios já é tradicional, por exemplo, em Paris e Buenos Aires. Estes locais apresentam forte conteúdo cultural, manifestado, entre outras maneiras, no uso para cantaria e estatuária de rochas que frequentemente refletem a geodiversidade regional. Os cemitérios de Curitiba, Ribeirão Preto e outros já têm estudos que poderão resultar em geoturismo. Em São Paulo o turismo cemiterial já é timidamente realizado, mas apenas focado nos aspectos histórico e escultórico.

A proposta do geoturismo urbano é que a informação geológica, associada aos locais de visibilidade, ofereça ao observador uma possibilidade a mais de conhecer - condição básica necessária para valorizar - o meio que o rodeia. O geoturismo urbano apresenta um destacado aspecto democrático, pois as atrações estão facilmente acessíveis, a um custo menor, para um grande número de pessoas, e todas as cidades têm potencial para desenvolvê-lo.

(Resumo publicado nos Anais do 45° Congresso Brasileiro de Geologia)

Second Global Geotourism Conference

Oi gente,

no site da II Conferência Global de Geoturismo está disponível em pdf as apresentações dos palestrantes, dentre eles, Newsome e Ross Dowling.

Segue o link < http://www.globalgeotourism.com/keynotes.php >

Confiram é muito interessante!

Valeu Marcos =D


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

CBG e o Simpósio Monumentos Geológicos, Geoturismo, Geoconservação e Geoparques

Meu queridos,

O Simpósio 27 - Monumentos Geológicos, Geoturismo, Geoconservação e Geoparques, no 45° Congresso Brasileiro de Geologia foi um sucesso. Ao todo foram aceitos 66 trabalhos (sendo 24 orais e 51 poster's - alguns deles foram apresentados nas duas modalidades) e apenas 01 oral e 05 poster's não foram apresentados.

Teve ainda 2 excelentes e comentadas palestras - Perspectivas actuales y futuras del trabajo en geoconservation proferida pro Luis Carcavilla Urquí do Instituto Geológico y Minero de España e Geoturismo Urbano – possibilidades para a geoconservação proferida por Antonio Liccardo da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Sucesso de público, com a sala do Simpósio sempre cheia: em média 80 pessoas por turno, em uma sala com 100 cadeiras. Porém, muitas vezes tínhamos mais de 100 pessoas, já que muitos assistiram às palestras em pé.

Durante o 45º Congresso Brasileiro de Geologia foi lançado o Livro “Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil – volume II” pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), dos editores Manfredo Winge, Carlos Schobbenhaus, Célia Souza, Antonio Fernandes, Emanuel Teixeira, Mylène Berbert-Born e Diógenes Campos, em parceria com a SIGEP (Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos). Além desse livro a CPRM trouxe ainda para a sociedade em geral os conceitos a cerca dos 4 GEOs através do folder do Projeto Geoparques.

Os Anais do Simpósio 27 foi prontamente disposto no grupo Geoturismo_brasil por Marcos Nascimento e aproveito para anexa-lo ao blog na janela Material para Download. Aproveitem porque tem excelentes trabalhos! Está disponível no grupo também os resultados do Simpósio, parte dele eu trouxe nesta postagem também.

Marcos muito obrigada por compartilhar o material =D

E até o próximo CBG que será em Santos- SP, em 2012!!!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

CPRM e UFRN Iniciam Estudos Técnicos para Criação do Geoparque Cabo de Santo Agostinho - PE


Entre os dias 16 e 18 de setembro, técnicos do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) estiveram na região do Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca (municípios do litoral de Pernambuco), para iniciar o inventário dos sítios geológicos daquela região que integrará o estudo técnico e diagnóstico para criação do Geoparque Cabo de Santo Agostinho. Essa região é conhecida pelo caráter excepcional de seu patrimônio geológico (premissa básica para a proposição do geoparque) e sua belíssima paisagem natural que já foi cenário de momentos importantes da história e cultura de Pernambuco e do Brasil. Importantes sítios geológicos em estudo relacionam-se a rochas ígneas e sedimentares da bacia sedimentar de Pernambuco (incluindo um raro granito de idade cretácea – 102 Ma, considerado o último ponto de ligação entre América do Sul e África, antes da ruptura final desses dois continentes).

O geólogo Carlos Schobbenhaus, coordenador nacional do Projeto Geoparques, o geógrafo Rogério Valença, coordenador regional do projeto na Superintendência Regional de Recife da CPRM, o Prof. Marcos Nascimento, do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e o geólogo Wilson Wildner, especialista em petrologia de rochas vulcânicas da Superintendência Regional de Porto Alegre da CPRM, visitaram diversos geossítios durante o período, entre eles o granito do Cabo de Santo Agostinho e rochas vulcânicas associadas, os traquitos da Praia de Itapoama, o riolito da Usina Ipojuca, os arenitos praiais (beachrocks), além de vários monumentos históricos do século XVI a XVIII.

A proposta de criação do Geoparque do Cabo de Santo Agostinho, que coincide em parte com a área do Parque Metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti, tem como premissas básicas:

· contribuir para o desenvolvimento sustentável através do geoturismo, reforçando a identificação da população com sua região (popularização das geociências), promovendo o respeito ao meio ambiente e estimulando a atividade sócio-econômica;

· educar e ensinar ao grande público sobre temas geológicos e ambientais (educação) e prover meios de pesquisas para as geociências; e

· preservar o patrimônio geológico para futuras gerações (geoconservação).

Em Suape, foram apresentadas duas palestras “Projeto Geoparques do Brasil”, ministrada por Schobbenhaus, e “Patrimônio Geológico do Cabo de Santo Agostinho”, pelo professor Nascimento. Estava presente a equipe do Conselho de Administração do Programa de Recuperação e Implantação do Parque Metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti (coordenado por Regina Arakaki ryy), incluindo representantes da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, Iphan, Fundarpe, Porto de Suape, EtnoAmbiental, entre outros.


(Fonte <> )

Artigos VIII SINAGEO

Através do link < http://www.4shared.com/file/hqfPWpE2/eixo6.html > você já pode baixar os artigos do eixo 06 ( Conservação e Patrimônio Natural) do VIII SINAGEO que ocorreu no mês de setembro, em Recife.

... e até 2012, com o XIX SINAGEO na cidade maravilhosa, Rio de Janeiro!!!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

...Por Ricardo Fraga...

Um texto que achei tão bonito, escrito por Ricardo; é a epígrafe de sua tese...

Cada grão de areia tem muita história.
Cada pedaço de chão guarda em si
muitas e muitas histórias...
Cada pedaço do chão
que a gente pisa e despreza,
guarda em si uma sucessão de tempos,
processos, fenômenos e histórias.
A água, que é fluida, sempre se mistura,
ao passo que o chão, sólido e concreto,
guarda consigo as marcas do tempo.
Cada grão de terra, areia ou chão
é testemunho do tempo.
Encerra em si sua origem,
passado, história e presente
deste tão grande mundo
e desta tão longa história...
Só não reserva em si o futuro,
que mais passa pela mão do homem
e todo aquele que se apropria do chão,
deixando de lado, esta tão longa história:
O tempo e sua eterna transformação!

(Ricardo Fraga Pereira, entre Lisboa e Salvador em 05/Jan/09)

Você Conhece?




Você saberia identificar que formação geológica é esta?

Uma dica: a literatura o identifica como o pico de vulcão extinto e localiza-se no estado do Rio Grande do Norte.

(Resposta nos comentários)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Geomorfossítios do Brasil

Olá caros leitores,

trago a vocês o resumo de um artigo intitulado "Paisagens Geomorfológicas Espetaculares: geormofossítios do Brasil" da professora Dra. Vanda Claudino-Sales, apresentado no VIII Simpósio Nacional de Geomorfologia, onde ela apresenta uma visão geral da política nacional para geossítios, analisando particularmente a situação para os sítios definidos como de natureza geomorfológica.


O Brasil ingressou em 1993 no programa da UNESCO para geossítios, conforme definido pela "Convenção para do Patrimônio Mundial Cultural e Natural" de 1972. Para tanto, foi criada a "Comissão Brasileira dos Sítios Geológicos e Paleobiológicos - SIGEP". Até 2009, a SIGEP havia catalogado 158 geossítios no Brasil. Desses, 99 foram oficialmente descritos, estando os dados à disposição da sociedade, através da internet e da publicação de dois livros. Os sítios acham-se classificados em diferentes categorias. A categoria dominante é a de "sítios paleontológicos", seguidos dos "geomorfossítios", que representam 38 ocorrências, ou 24,5% do total de geossítios no país. Os geomorfossítios são representativos de todos os principais domínios naturais e paisagens geomorfológicas brasileiras, mas acham-se pobremente apresentados, o que resulta sobretudo da não existência na composição da SIGEP, de uma associação representativa de geomorfólogos. Os geomorfossítios catalogados já são largamente conhecidos, situando-se inclusive, em sua grande maioria, em áreas de preservação ambiental.

Logo abaixo, um mapa de Localização dos Geomorfossítios Brasileiros.

A autora traz as seguintes conclusões:
  • verifica-se que a política brasileira para geossítios, no que diz respeito aos geomorfossítios, vem catalogando aquelas paisagens geomorfológicas já bem conhecidas pelos brasileiros, dentre os 38 geomorfossítios catalogados, 31 contam com estruturas legais e logísticas associadas à preservação ambiental, sendo parques nacionais ou estaduais ou áreas de preservação ambiental de status variados.
  • é perceptível a tendência a partir de agora de agregar paisagens geomorfológicas que não foram completamente descobertas pelo turismo.
  • a definição de geomorfossítios no Brasil pode incentivar a adoção de medidas protecionistas para paisagens geomorfológicas que ainda não são objeto de preservação até o momento.

O artigo está publicado na Revista de Geografia - UFPE (Edição Especial) v.3, Set. 2010.


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

III Semana Científica de Geografia - UFPI


Olá caros leitores,

entre os dias 25 e 29 de Outubro ocorrerá a III Semana Científica de Geografia e o II Seminário de Métodos e Técnicas da UFPI.

Na oportunidade, estarei ministrando o mini-curso "Patrimônio Geológico e Geoconservação", com disponibilidade de 25 vagas.

Mais informações no blog do evento <>

sábado, 18 de setembro de 2010

... E foi um Sucesso!

Professores Marcos Nascimento, Diamantino e Paulo
Foto: Sheydder, 2010


Olá caros leitores,

gostaria de registrar aqui no blog a presença dos professores Marcos Nascimento (UFRN), Diamantino e Paulo Pereira (UMinho) no VIII Simpósio Nacional de Geomorfologia ocorrido nesta última semana em Recife - PE, onde ministraram a mesa-redonda Geomorfologia e Conservação do Patrimônio Natural.

Diamantino iniciou a mesa, falando um pouco sobre o trinômio em Portugal, em seguida Marcos fez uma explanação do trinômio no Brasil e Paulo expôs alguns métodos de inventariação do patrimônio geomorfológico.

É uma alegria ver o trinômio com um espaço em um evento tão importante como o SINAGEO. Os trabalhos, que já citei em um post anterior, possivelmente serão disponibilizado por Marcos nos arquivos de nosso grupo Geoturismo_brasil.

Uma das falas que achei mais importantes, dita por Marcos, é que "o trinômio não deve ser mais citado como uma linha recente no Brasil, afinal, já são quase 10 anos de pesquisa e já temos muitas publicações e espaço em eventos nacionais e internacionais".

Outra fala importante, dita por Diamantino, é que "deve-se ter cautela ao trabalhar com Geoparques, para que não se perca a sua essência, que é a geoconservação, a educação e o desenvolvimento econômico sustentável".

Um dos trabalhos orais apresentados que também achei muito interessante, foi o de Vanda Claudino-Sales (UFC), intutulado "Paisagens geomorfológicas espetaculares: geomorfossítios do Brasil", onde ela apresenta uma visão geral da política nacional para geossítios, analisando particularmente a situação para os sítios definidos como de natureza geomorfológica.

Fica a espera de no próximo ano ocorrer o I Simpósio Nacional de Patrimônio Geológico, previsto para ocorrer no Rio de Janeiro.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

V Congresso Nacional de Geomorfologia - Portugal


A Associação Portuguesa de Geomorfólogos (APGeom) tem o prazer de convidar todos os geo-profissionais a estarem presentes no mais importante evento da Geomorfologia Portuguesa: o V Congresso Nacional de Geomorfologia, que terá lugar no Porto, de 08 a 11 de Dezembro de 2010.

O evento contará com um eixo temático sobre Patrimônio Geomorfológico.
É notório o investimento feito nos últimos anos na investigação sobre património geomorfológico, o que, a par com a intervenção efetuada junto de autoridades responsáveis pela gestão do território, tem sido importante no sentido de promover a sua conservação, em particular junto das áreas de maior expansão urbana. Mas ‘conservar’ passa também pelo desenvolvimento de estratégias de divulgação deste património, que implicam, nomeadamente, a dinamização do geoturismo numa escala global, mas numa perspectiva de garantir a geoconservação e a geodiversidade.

O envio de resumos pode ser feito até o dia 20 de Setembro de 2010.

Maiores informações no site < http://www.isep.ipp.pt/cng2010// >

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Luís Carcavilla - roteiro pelo Brasil

Colegas,

o Geólogo Luis Carcavilla Urqui, com doutorado em Patrimônio Geológico, atualmente trabalhando no Serviço Geológico e Mineiro da Espanha, será o palestrante do S27 no 45 Congresso Brasileiro de Geologia.

É uma excelente oportunidade para nos informarmos sobre as atividades relativas ao trinômio na Espanha, um país reconhecidamente de vanguarda nesse tema: basta lembrar que aí está um dos 4 geoparques (Parque Cultural del Maestrazgo) que fundaram a rede mundial em 2000, e que, com uma superfície cerca de 17 vezes menor que o Brasil, esse país tem hoje 4 geoparques na mesma rede.

Após o CBG, ele fará um roteiro pelo Brasil. Coloco os detalhes abaixo, para podermos usufruir e compartilhar ao máximo da experiência e dos ensinamentos dele. Se você morar numa das cidades visitadas por ele, ou proximidades, se tiver colegas e/ou alunos nesses locais, etc., programe-se e divulgue esse convite.


Roteiro de Luis Carcavilla no Brasil

30 set, 5ª, Belém > Belo Horizonte; eventual palestra em BH ?? (a confirmar).

1-2-3 out, Belo Horizonte e Quadrilátero Ferrífero; o roteiro dele já está esboçado; a intenção é tentar incluir Mariana (Mina da Passagem), Ouro Preto (conhecer a cidade e apreciar o Pico), garimpo de topázio imperial, feira/lojas na beira da estrada onde se observa a produção de peças em pedra-sabão, Serra da Piedade, Inhotim/Brumadinho, Serra do Rola-Moça, e talvez o Museu de Mineralogia Victor Dequech, da Geosol (bairro Olhos D'água, em BH).

3 out, dom, Belo Horizonte > Rio.

4 out, 2ª, Rio visita geoturística Região dos Lagos.

5 out, 3ª, Rio palestra no DRM (Niterói, RJ)

6 out, 4ª, Iguaçu.

7-8-9 out, Iguaçu > Chapecó > Ametista > Campos Gerais.

10 out, dom, Campos Gerais > Curitiba.

11 out, 2ª (miolo de feriado longo), palestra Curitiba 14hs na UFPR, viagem Curitiba > São Paulo.

12 out, 3ª (feriado), geoturismo nas proximidades de São Paulo; vamos formar um grupo; interessados em participar contactem Virginio – virginio(arroba)uol.com.br – com a maior antecedência possível.

13 out, 4ª, São Paulo, 10:00hs, palestra na Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Marginal Pinheiros, próximo à Ponte Cidade Universitária), promovida pelo IG, USP e outras instituições - tema: "A experiência espanhola de proteção do Patrimônio Geológico"; à tarde visitas ao IGc/USP e outras.

(Meus agradecimentos à Virgínio pelas informações)

O Trinômio no VIII SINAGEO


Caros,

Entre os dias 12 e 16 de setembro de 2010, ocorrerá em Recife um grande evento congregando o VIII Simpósio Nacional de Geomorfologia, o III Encontro Latino Americano de Geomorfologia, o I Encontro Ibero-Americano de Geomorfologia e o I Encontro Ibero-Americano do Quaternário.

Nele teremos dentre vários grupos de trabalho uma abordando o tema: Geomorfologia e Conservação do Patrimônio Natural, com uma mesa redonda coordenada pelo Prof. Dr. Antonio Jeovah de Andrade Meireles (UFC) e tendo como palestrantes os Profs. Drs. Diamantino Manuel Insua Pereira (Universidade do Minho), Marcos Antonio Leite do Nascimento (UFRN) e Paulo Pereira (Universidade do Minho).

Neste tema teremos também apresentações de trabalhos na formal oral e pôsteres.

Trabalhos Orais

Potencialidades do Patrimônio Geomorfológico da Bacia do Córrego do Gentil - Suedio Alves Meira

Morfologia Fluvial como Indicador de Geodiversidade. Exemplos de Rios Brasileiros - Juliana de Paula Silva

Compactação do Solo como Indicador Pedogeomorfológico para Erosão em Trilhas de
Unidades de Conservação: Estudo de Caso no Parque Nacional da Serra do Cipó, MG - Múcio do Amaral Figueiredo

Potencial dos Geoparques como Estratégia de Geoconservação no Estado do Piauí - Laryssa Sheydder de Oliveira Lopes

Relações entre Uso, Degradação e Variáveis Hidrogeomorfológicas nas Trilhas Ecoturísticas do Parque Nacional da Serra Dos Órgãos - Lia Lutz Kroeff

Geodiversidade Eólica entre Cabo Frio e o Cabo Búzios – RJ - Thiago Gonçalves Pereira

Paisagens Geomorfologócicas Espetaculares: Geomorfossítios do Brasil - Vanda Claudino-Sales

Caracterização Geomorfológica da Região da Serra do Boturuna, Estado de São Paulo - Sandro Francisco Detoni

Reserva Ecológica da Sapiranga em Fortaleza/CE, As Realidades de uma Unidade de
Conservação em Meio Urbano - Diego Silva Salvador

Pôsteres:

Aspectos Morfológicos do Bairro de Santa Teresa (RJ) – Importância e Conservação do
Patrimônio Natural - Telma Mendes da Silva

Município de Angra dos Reis (RJ): Sensibilidade das Encostas e Conservação do Patrimônio Natural - Eluan Alan Lemos Pocidonio

Estratégias para a Gestão do Patrimônio Geológico/Geomorfológico Paulista - Rogério Rodrigues Ribeiro

Geomorfologia e Geoconservação – Uma Reflexão a Partir do Estudo do Potencial
Geoturístico das Quedas D’água do Município de Indianópolis/MG - Lilian Carla Moreira Bento

Análise Geomorfológica da Serra de Caldas Novas-GO: Caracterização do Pseudo-Domo e
Conservação do Parque Estadual - Jeissy Conseição Bezerra da Silva

Geomorfologia Aplicada a Gestão de Unidades de Conservação : O Parque Estadual do
Jurupará / SP - José Mariano Caccia Gouveia

Impactos Ambientais Decorrentes do Uso e Ocupação do Solo, na Comunidade Negra Jamary dos Pretos, Turiaçu – Maranhão - Taissa Caroline Silva Rodrigues

Uma Proposta para Recomposição da Vegetação Natural das Áreas de Preservação
Permanente e Erosões no Assentamento Paciência em Uberlândia-MG - Hérica Leonel de Paula Ramos Oliveira

A Modificação da Paisagem e suas Implicações nos Aspectos Socioambientais: O Caso do Porto das Dunas- Aquiraz/CE - Lizabeth Silva Oliveira

Configuração Geomorfologica do Povoado de Cajueiro em Santo Amaro do Maranhão/MA no Parque Nacional dos Lençóis Maranheses - Jeremias Silva Santos

Potencial Turístico do Patrimônio Geomorfológico no Transecto Boa Vista – Pacaraima /
Roraima - Márcia Teixeira Falcão

A todos um excelente evento.

(Por Marcos Nascimento)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...