terça-feira, 1 de novembro de 2011

Projeto "Geoturismo: conhecendo Pernambuco"

O projeto está inserido no programa de apoio à divulgação e popularização de ciência e tecnologia, financiado pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE). O programa propõe o desenvolvimento de medidas que venham a disseminar e popularizar a ciência, a fim de fortalecer e democratizar as informações aproximando de maneira informal um público bastante heterogêneo.

O Litoral Sul pernambucano na região que compreende os municípios do Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, apresenta características ímpares por conter em sua Geologia rochas vulcânicas e plutônicas com cerca de 102 m.a. Tais rochas marcam um dos estágios de separação da América do Sul e África, e consequente formação do oceano Atlântico. O conhecimento adequado, sua localização e importância para história geológica local e global tornam a área muito interessante do ponto de vista do turismo científico/educacional, e também do Geoturismo, já que este está intimamente relacionado à Geoconservação e a Geodiversidade, o que representa além da divulgação, a preservação do patrimônio geológico.

A área escolhida para elaboração deste projeto situada no município do Cabo é composta pelas praias de Gaibu, Calhetas, Paraíso e Suape, as mesmas apresentam geomorfologia bastante variada, onde aflora o granito do Cabo de Santo Agostinho. No território cabense encontra-se, também, o Parque Metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti, localizado entre as praias de Gaibu e Suape (Vila de Nazaré) que abriga uma história fascinante e tem seus monumentos tombados pela FUNDARPE (Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco).

O objetivo é divulgar para o grande público (incluindo turistas que são atraídos pela beleza das praias) a ocorrência destas rochas, sua localização e importância, uma vez que marcam a separação entre Brasil e África e a conseqüente formação do oceano Atlântico.

A primeira etapa do projeto trata-se da fixação de placas informativas, desenvolvidas por equipe multidisciplinar, preocupada em manter uma linguagem clara e objetiva, a fim de alcançar o público mais diverso possível. Ainda foram inseridos mapas e fotografias, todos com legendas explicativas objetivando uma maior leveza as placas.

Parte da primeira etapa do projeto já se encontra concluída, três placas medindo 2,00 x 1,50m estão dispostas no Espaço Ciência, enorme museu a céu aberto localizado em Olinda/PE. Com o objetivo de trabalhar melhor a informação direcionada aos visitantes foram selecionados dois monitores graduandos em Geologia, que estão trabalhando no Espaço Ciência.

Em um segundo momento serão fixadas placas in situ, em lugares estratégicos, como por exemplo, sobre o granito do Cabo, marco da história geológica da América do Sul.

Em sua segunda etapa serão confeccionadas cartilhas explicativas e educativas sobre a origem das rochas vulcânicas na região e sua importância como marcadoras da abertura do oceano Atlântico e a quebra do continente Gondwana. A cartilha será elaborada de forma a proporcionar o aprendizado com prazer.

Ainda fazem parte do projeto a criação de cartões postais com as placas das rochas em estudo, bem como a realização de cursos para formação de guias, com palestras, que serão apresentadas em escolas da rede pública e privada da região.

Com base em informações obtidas através de leituras pertinentes ao tema, observações feitas in loco e na troca de experiência com colegas da área reconhecemos que ainda há muito por fazer e aprender. No entanto, cremos que as medidas aqui propostas, atreladas a idéias que com certeza surgirão ao longo de outras pesquisas realizadas, conseguirão popularizar a ciência geológica e contribuir para sua maior absorção em meio à sociedade, independente de faixa etária, classe social ou meio de atuação.

A Equipe é formada por: Prof. Gorki Mariano (Coordenador); Thaís Guimarães (UFPE); Edjane Maria dos Santos (UFPE) e Rodrigo Tavares Andrade (UFPE)


Foto 01: Alunos do ensino Fundamental, recebendo algumas informações através do Prof. Gorki Mariano (Espaço Ciência, Olinda, 19/08/11).


Foto 02: Placa fixada no Espaço Ciência, com ênfase no Granito do Cabo. Praia de Gaibu - Cabo de Santo Agostinho/PE (Espaço Ciência, Olinda, 19/08/11)


Foto 03: Placa fixada no Espaço Ciência, referente ao Neck Vulcânico (Riolito) localizado em Ipojuca/PE. (Espaço Ciência, Olinda, 19/08/11)


Foto 04: Modelo de placa indicadora das placas do projeto no parque metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti a ser exposta na próxima etapa do projeto. O objetivo é fixá-la in situ, em local de destaque.

(Texto de Thaís Guimarães)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...