quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Critérios de Avaliação Quantitativa do Patrimônio Geológico

Na avaliação do patrimônio geológico, a quantificação é a etapa que procede ao inventário. O objetivo da quantificação é diminuir a subjetividade do processo de avaliação. O resultado é uma lista ordenada de sítios, que pode ser uma ferramenta para o estabelecimento de áreas prioritárias para a gestão. 

Vamos aos critérios definidos por Brilha (2015):
Obs: a maioria dos parâmetros são autoexplicativos. 

Valor Científico: 
i) representatividade (importância em termos de ilustratividade dos processos geológicos)
ii) importância do geossítio como referência;
iii) conhecimento científico (publicações científicas sobre o sítio pesquisado)
iv) integridade (grau de conservação do sítio)
v) diversidade geológica 
vi) raridade;
vii) limitações de uso 

Valor Educacional:
i) vulnerabilidade;
ii) acessibilidade;
iii) limitações de uso;
iv) segurança;
v) logística (existencia de estrutura como restaurantes, hoteis, etc);
vi) diversidade da população (características populacionais como o desenvolvimento econômico)
vii) associação com outros valores; 
viii) beleza cênica; 
ix) singularidade; 
x) potencial didático 
xi) condições de observação; 
xii) diversidade geológica. 


Valor Turístico
i) vulnerabilidade
ii) acessibilidade;
iii) limitações de uso;
iv) segurança;
v) logística; 
vi) densidade da população;
vii) associação com outros valores; 
viii) beleza cênica;
ix) singularidade; 
x) condições de observação; 
xi) nível econômico;
xii) proximidade de áreas de lazer; 
xiii) potencial interpretativo.

Brilha salienta ainda que não há necessidade de calcular um ranking uma vez que os conjuntos de dados tem critérios diferentes que não devem ser calculados em conjunto. Sabe-se que vários autores tem calculado um ranking para definir a relevância (nível local, regional, nacional ou internacional) dos geossítios. 
Fica o debate!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...