domingo, 22 de fevereiro de 2015

Tipos de Patrimônio Geológico

Patrimônio pode ser entendido como o conjunto de bens materiais e imateriais que devemos transmitir aos nossos descendentes, que pelas suas características particulares necessitam de estratégias de proteção/conservação e que constituem herança coletiva. O patrimônio geológico, por sua vez, constitui-se em um patrimônio natural abiótico que, pelas suas caracteríticas de raridade, vulnerabilidade, suporte à biodiversidade, valor científico, estético, dentre outros, deve ser conservado e valorizado. 

O patrimônio geológico (geoheritage ou geopatrimônio) corresponde ao conjunto de geossítios inventariados, caracterizados e delimitados geograficamente, onde ocorre um ou mais elementos da geodiversidade com singular valor do ponto de vista científico, pedagógico, cultural e turístico. 


Alguns tipos de patrimônio geológico: 

1. Patrimônio Geomorfológico 
O patrimônio geomorfológico é constituído por um conjunto de geomorfossítios, ou seja, áreas naturais onde os atributos principais estão relacionados à dinâmica geomorfológica e às formas de relevo, apresentando algum valor para a sociedade. São classificados em diferentes categorias temáticas considerando suas características litológicas, estruturais, elementos geomorfológicos, entre outros: geoformas tectônicas, graníticas, vulcânicas, cársticas, litorâneas, residuais, tectônicas, fluviais, culturais e glaciárias. A categoria geomorfológica é a segunda maior em termos de quantidade de geossítios descritos no SIGEP, com 19,82% do total. 

Morro do Pai Inácio - Chapada Diamantina - BA
Fonte: SIGEP

2. Patrimônio Paleontológico 
Corresponde aos depósitos fossílíferos ou jazidas que apresentem valores científico, educativo, cultural etc. São ainda considerados como elementos do patrimônio geológico as coleções de fósseis recolhidas e/ou expostas em museus. No bando de dados do SIGEP, esta categoria é a que tem maior quantidade de geossítios descritos, correspondendo a 32,89%. 

Registro fóssil de fauna do Cretáceo na Chapada do Araripe - CE
Fonte; SIGEP

3. Patrimônio Espeleológico 
O patrimônio espeleológico no Brasil é regulamentado pelo CONAMA que o define como todos os elementos bióticos e abióticos, socioeconômicos e histórico-culturais, subterrâneos ou superficiais, representados pelas cavidades subterrâneas ou a estas associadas. 

4. Patrimônio Paleoambiental 
Corresponde aos ambientes antigos em que ocorreu a formação das rochas e onde é possível compreender e interpretar o ambiente existente quando o estrado sedimentar se formou. É  a terceira maior categoria em número de geossítios cadastrados no SIGEP. 

Serra do Tombador - Chapada Diamantina - BA
Fonte: SIGEP


5. Patrimônio Tectônico
Está ligado aos processos geológicos onde ocorrem movimentação ou deslocamento de massas rochosas, construindo ou reorganizando a estrutura da Terra devido à tensões crustrais como orogênese, epirogênese, falhamentos, dobramentos,etc. 

Convém ressaltar que o Patrimônio Arqueológico e Mineiro não são categorias do Patrimônio Geológico. O Arqueológico guarda uma forte relação com os aspectos culturais uma vez que está relacionado aos sistemas sociais, estrutura, funcionamento e transformações dos povos ao longo do tempo a partir da porção parcialmente apropriada, ou seja, dos artefatos e dos bio-ecofatos.
O Mineiro também tem uma relação maior com o patrimônio cultural uma vez que ele guarda uma parte da memória das técnicas e do cotidiano dos povos que trabalhavam nestes locais. Alguns países da Europa já reconhecem o patrimônio mineiro, no entanto, tem sido categorizado como patrimônio misto uma vez que guarda aspectos geológicos e paisagísticos, assim como histórico, industrial, arquitetônico, cultural e documental. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...