segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Métodos de Inventário do Geopatrimônio

São poucos os trabalhos que discutem o método empregado no inventário. A maioria discute apenas o método de quantificação, apresentando os sítios de interesse avaliados sem qualquer justificativa embasada para a sua escolha. 

O inventário requer um levantamento sistemático dos sítios potenciais, seguido de sua descrição e catalogação. Pereira (2010) é um dos poucos trabalhos que discute os métodos de inventário antes de apresentar o resultado final em si ao leitor. Ele discute os métodos de Wimbledon et al (1999) e Sharples (2002). 

Wimbledon et al (1999) discute a metodologia e objetivos do, já desativado, Projeto GEOSITES, criado em 1995 para a construção de um bando de dados de sítios geológicos global. De acordo com este Projeto, o inventário pode ser feito das seguintes formas: 

  • Método ad hoc: baseado na escolha aleatória dos sítios, de maneira isolada e com enfoque local.;
  • Definição de Categorias: baseado na subdivisão em categorias dos temas relacionados às Ciências da Terra, dando atenção especial àquelas dotadas de espetacularidade;
  • Enquadamento em Unidades de Conservação: baseia-se em unidades de conservação já existentes em um determinado local, escolhendo aqueles sítios que tenham interesse geológico;
  • Características Superlativas: dispensa um levantamento sistemático, contemplando somente os sítios com características de destaque, independente do contexto geológico;
  • Levantamento Sistemático e Avaliações Comparativas: baseado na comparação de sítios dentro de um mesmo contexto geológico, que permitam comparações e correlações com outros locais.
Sharles (2002) apresenta duas grandes linhas de levantamento dos sítios geológicos: 

  • Método ad hoc: assim como em Wimbledon, busca a identificação pontual dos sítios;
  • Abordagem estratégica: levantamento estratégico e sistemático de uma área;
    • Inventário de Reconhecimento: identificação de feições ou locais significativos, a partir de consulta bibliográfica, pesquisa de campo e consulta a especialistas; 
    • Inventário de detalhe: objetivo de levantar informações específicas sobre sistemas sensitivos e significativos;
    • Inventário Temático e Sistemático: avaliação comparativa e interpretativa de todas as feições e sistemas de uma região.

E então,qual método você empregou no seu trabalho? 

Fonte: Pereira (2010).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...