sábado, 19 de setembro de 2015

O Papel da Resolução nas Avaliações Quantitativas de Geodiversidade

Olá!


para reiterar a importância dos trabalhos acerca dos índices de geodiversidade, trago para discussão um dos artigos que mais chamou minha atenção nos Anais do III GeoHeritage, trata-se do artigo "O papel da resolução nas avaliações quantitativas de geodiversidade: proposta de revisão metodológica", autoria de Daniel Souza Santos et al.  (UFRJ).

Resumo:

O conceito de Geodiversidade ainda passa por um processo de consolidação de seus métodos de aplicação prática. O presente trabalho realizou uma abordagem metodológica, focando na questão da resolução da matriz regular utilizada na maioria das propostas de metodologias de quantificação da Geodiversidade. Foi realizada uma série de testes, criando-se Mapas de Índice de Geodiversidade do município de Morro do Chapéu, BA, em diferentes resoluções da matriz regular. Os resultados mostraram que as mudanças nas resoluções são responsáveis por alterações significativas no resultado final, sendo importante, então, uma revisão metodológica do procedimento, levando em conta este aspecto.

Foram elaborados cinco mapas de geodiversidade com resoluções de: 250 x 250 metros; 500 x 500 metros; 1000 x 1000 metros; 2000 x 2000 metros; 4000 x 4000 metros. 

Em cada um dos mapas foi gerado um índice de geodiversidade classificado como muito baixo, baixo, médio, alto e muito alto, baseando-se nos valores mínimos e máximos encontrados em cada um deles. 



Em seguida foi avaliada a porcentagem de área ocupada por cada classe em cada um dos mapas, evidenciando-se as diferenças  por cada classe do índice de geodiversidade a partir das mudanças de resolução da grade vetorial. 





Este resultado mostra que as mudanças na resolução são capazes de provocar influências muito significativas no produto final. Por exemplo, quando foi utilizada a resolução de 250 x 250 metros, o resultado mostrou que cerca de 95% da área do município é ocupada por áreas com índice de Geodiversidade Muito Baixo ou Baixo. Ao modificar a resolução para 500 x 500 metros, o resultado mostra que a porcentagem de área ocupada por estas mesmas classes cai para cerca de 75%. Portanto, os resultados mostram que a resolução utilizada para a criação do Mapa de Índice de Geodiversidade possui um papel fundamental no resultado final.

Fonte: Anais III GeoHeritage


Confira o trabalho nos Anais do III GeoHeritage (p. 199-202).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...