segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Semana dos 10 anos do Geopark Araripe

Figura 1: Sede do Geopark Araripe, em Crato - CE. Fotografia: Mariana Albanese (do site: Viaje na Chapada).

Esse é daqueles momentos em que se olha para o passado e vem aquela sensação: "Mas já? Parece que foi ontem...". Um trabalho oficialmente reconhecido em 2006 e que completa 10 anos de atuação no Cariri Cearense. Isso tem sido o Geopark Araripe (Figura 1), que receberá seu segundo selo verde UNESCO, oficialmente, na 7ª Conferência Internacional de Geoparks (acesse a página do evento clicando AQUI) a ser realizada no Reino Unido (em território do Riviera UNESCO Global Geopark).

A Semana Geopark Araripe 10 Anos (Figura 2) será bastante especial. A programação resumida, conforme divulgado em rede social pelo próprio Geopark Araripe, tem atrativos para todas as áreas, com participação de parceiros importantes dos setores público, privado e representantes da sociedade civil organizada. É uma demonstração prática de que o Geopark Araripe é um facilitador/ mediador, pois a semana comemorativa acaba se fazendo na prática uma construção coletiva de vários atores do território. Pode ser conferida clicando no link: Programação Semana 10 anos Geopark Araripe.

Destaca-se a amplitude de possibilidades que o evento oferece aos participantes: 

1- Mesas Redondas, entre os dias 20/09 e 22/09, com temas que variados: Patrimônio Natural, Unidades de Conservação,Geoturismo, Economia Solidária, Cultura e Arte Popular, Questão Hídrica, Novas perspectivas de Geossítios;

2- Ação prática no Geopark na Comunidade: No dia 20/09, no Vale do Amanhecer em Juazeiro do Norte, das 8 às 16 horas;

3- Exposição Fotográfica "Território Geopark";

4- Mini-cursos e oficinas com carga horária de 8 horas, nos dias 20/09 e 21/09 (R$ 10,00 - taxa de inscrição). Acesse a lista dos mini-cursos clicando AQUI;

5- Atrações culturais entre os dias 20/09 e 22/09;

6- Geopark no "mêi" do mundo: Visitas às rotas leste (dia 23/09) e oeste (dia 24/09) do Geopark Araripe, com saída prevista às 8 horas.

Na primeira edição do CETV, pela Verdes Mares Cariri (afiliada da Rede Globo de Televisão), a semana comemorativa e o evento ganharam destaque especial (clique AQUI para ver o vídeo).

Estaremos participando, e de olho no desenrolar da programação para em breve trazer mais geonews!


Figura 2: Logotipo criado em alusão aos 10 anos do Geopark Araripe, através de parceria com o curso de Design de Produto da Universidade Federal do Cariri - UFCA.

sábado, 10 de setembro de 2016

Patrimônio Hidrológico

Olá amigos,

gostaria de compartilhar um artigo que eu, particularmente, estava ansiosa para ler. O artigo trata sobre o patrimônio hidrológico, um tipo de patrimônio que ainda tem poucos trabalhos publicados aqui no Brasil. 

Por Patrimônio Hidrológico entende-se, segundo os autores, em um conjunto de elementos pertencentes aos recursos hídricos, de natureza superficial (exsurgências/ ressurgências, rios, lagos, barragens, mares e oceanos), que possuam um valor científico, pedagógico, econômico, ecológico, de uso e/ ou estético. Este valor é maximizado nos hidrossítios e, portanto, merecem ser preservados.

É de autoria de Luciano Pereira, Lúcio Cunha e Jucicleide Teodoro. 
  
Um Olhar Sobre o Patrimônio Hidrológico do Município de João Pessoa, Paraíba, Nordeste do Brasil .

O patrimônio hidrológico do município de João Pessoa, Paraíba, nordeste do Brasil, se apresenta na forma de fontes de água doce e de planícies fluviais e fluviomarinhas ainda funcionais, possuindo valores científicos, pedagógicos, culturais, estéticos e ecológicos, sendo os hidrossítios os locais de interesse hidrológico onde estes valores se maximizam. O objetivo deste ensaio é apresentar uma discussão teórica acerca do referido patrimônio, assim como sugerir potenciais hidrossítios para serem inseridos em rotas geoturísticas urbanas. A definição de patrimônio hidrológico consiste em um conjunto de elementos pertencentes aos recursos hídricos que possuam um valor de uso, científico, educacional, cultural, entre outros, o que os torna passiveis de proteção. João Pessoa está assentado em uma bacia sedimentar desenvolvida sobre um embasamento cristalino falhado, pelo que o terreno possui grande potencial geoturístico, do ponto de vista de seu patrimônio hidrológico, com fontes históricas, diversas planícies fluviais e a maior planície fluviomarinha do Estado, a do Rio Paraíba, de relevante importância histórica, ecológica e estética. Foram identificados os seguintes locais potenciais de interesse hidrológico: o Estuário do Rio Paraíba e seus manguezais, o Rio Jaguaribe, principal rio urbano e sua antiga foz, bem como a Dolina dos Irerês e três fontes centenárias de água doce, a Fonte dos Milagres, Tambiá e Santo Antônio.

O artigo completo você pode ler no Livro Territórios de Água que pode ser baixado aqui. 

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

I Seminário Potiguar de Geodiversidade


Vem ai o I Seminário Potiguar de Geodiversidade que ocorrerá no dia 28 de setembro de 2016, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, campus de Natal. 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...